Bach bêbado

Bem… uma noite de sábado, insonia, deitado, solitário (pobre e feio é foda), pensando em mi passione ao som de Heart – What About Love (oh muié danada). Celular zapeando pelas rádios curitibanas, várias estações, vários ritmos. Sertanejo, rock, new age, hiphop, dance, country, nacional, gospel, clássica, pop, relax, flashbacks. Bingo! Tico e teco a pleno vapor.

Penso que todo o ser humano que possa ouvir tem músicas inesquecíveis em sua vida. Aquelas que quando ouvimos lembramos de fatos marcantes em nossa vida. Fatos engraçados, alegres, encontros amorosos, despedidas, festas, filmes e por aí vai. Conforme for me recordando e sobrar tempo vou citar a música e a história relacionada.

Você também recorde de algumas músicas que marcaram sua vida, pois a música alegra a alma e o coração.

Momentos e músicas que marcaram minha vida. Formatura de nível superior não poderia faltar. Alguns relançes que podem revelar quem sou (hehehe). Vou começar pelo começo (haha). Entrei na universidade com 26 anos de idade uma idade um pouco incomum para entrar numa universidade.

Lembro-me que para arrecadar dinheiro para a cerimônia de colação e baile fizemos uma feijoada. En passant de passagem a maior feijoada da cidade! Conseguimos trazer até o prefeito (não éramos fracos). Fui o orador da turma. Elaborei um texto pensativo, emocionante e divertido (bem a minha cara). Recebi prêmio ao mérito por desempenho acadêmico, mas chega de egocentrismo.

Como cada um tinha que escolher uma música para tocar na entrada para pegar o diploma fiquei um final de semana inteiro vendo minha discoteca virtual para decidir qual música escolheria (eu gravei umas seis músicas para as garotas da sala). Quando recebi, ajoelhei-me, apontei os dedos para o céu e agradeci à Deus (foi show esta cena tenho gravado no DVD).

Eu sempre quis uma música clássica, mas qual, em meio à tantas? Depois de muito refletir, acabei escolhendo uma sinfonia alegre Bach – Concerto de Brandemburgo #3. Putz, se alguém da minha turma um dia ver este blog, vão saber quem sou. Mas não dá nada, não devo nada pra ninguém (bom tem o Banco do Brasil e o Itaucard hehe).

E o baile então, vale outro post. Só me lembro da minha irmã e dois amigos me deixando em casa totalmente embriagado. Me falaram que eu fiz cada coisa (nego até prova em contrário). Hoje raramente bebo e controladamente, é a maturidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s