Minha estrelinha

O que são as palavras? Um mero e simples modo de tentar traduzir os sentimentos do coração e as lembranças da vida

A vida nos fornece diversos caminhos. Destes, temos que optar por um em detrimento de outro. E as vezes ao escolhermos um caminho conhecemos pessoas eternas em nossa vida.

A data: 16 de fevereiro de 2009. A vida, o destino permitiu conhecer-te minha linda estrelinha. Desde aquele primeiro encontro meu “feeling” de minerador percebeu que havia garimpado uma raríssima jóia.

Quase 3 anos se passaram. Minha querida, quantas lembranças inesquecíveis tenho gravadas em meu coração.

És, sem dúvida nenhuma, uma mulher pra casar. (Quem sabe um dia, sonhar não é proibido). Tuas inúmeras qualidades precisam de uma enciclopédia para catalogar.

És madura, tens personalidade forte, és decidida, independente, culta, moderna, cativante, inteligentíssima, justa, perseverante, perspicaz, multitarefa, e, divinamente linda.

Teu corpo só pode ter sido esculpido pelos deuses, perfeito! Curvas simetricamente desenhadas, rosto que faz inveja às pinturas de Michelangelo. Felizes aqueles que podem dar-se ao luxo de tua companhia, do seu carinho. Que bom que faço parte deste privilegiado grupo. Quantas ligações, quantos encontros calorosos.

Minha estrelinha, haja o que houver, aconteça o que acontecer, passe o tempo que passar, sempre terá este seu fiel amigo e escudeiro para tudo que precisar. Esforçar-me-ei para cada vez mais solidificar meu carinho e respeito por ti. Tu mereces tudo de bom que a vida pode dar.

Humildemente, de coração, desejo-te que as bençãos divinas cubram-te de muita paz, saúde, alegria e prosperidade. Que a cada novo nascer do Sol tu mantenhas tua força e perseverança para realizar os teus sonhos. Quando precisares, meus ombros estarão ao teu dispor.  Outra homenagem aqui.

PARABÉNS,

Vida Longa e Próspera.

Anúncios

O quadro de girassóis

Certo dia vasculhando meus posts antigos, me deparo com este post. Fiquei me recordando das várias vezes que dei flores de presente para a mulherada, amigas e affairs. Lembrei-me com saudade desta história:

Era dia 05 de novembro de 2008. O dia estava ensolarado, era quase meio-dia. Com um embrulho embaixo do braço adentrei a agência bancária que fica numa grande avenida aqui em Curitiba. A agência estava lotada de aposentados que receberiam seus pagamentos. Fiquei na fila esperando ela desocupar um atendimento.

Ela é o tipo de mulher que cativa a todos ao seu redor. Possui uma simpatia natural, corpo de modelo.

Quando ela me viu deu um leve sorriso. Me aproximei do seu caixa e ocorreu esta conversa:

Eu: Bom dia senhorita F, vim aqui receber minha aposentaria!

F: Pois não senhor, a sua identidade por gentileza.

Alguns velhinhos começaram a rir.

Eu: Bom eu sei que hoje é uma data muito especial pra você!

F: Jura! Bem capaz mesmo!

Eu: Meus parabéns, muita paz, saúde e prosperidade!!!

Peguei o embrulho e entreguei-lhe juntamente com um chocolate pois sabia que ela adorava (e que mulher não gosta). Percebi que seu rosto suas maçãs do rosto ficaram coradas.

F: Luidi, que fofo! Não precisava disto. Fiquei sem jeito.

Eu: Minha querida, a amizade precisa ser demonstrada, você conhece meu estilo.

Houve uma salva de palmas uníssona para ela e para a minha atitude de amizade.

No domingo, fui na casa dela para terminar um trabalho da  sua faculdade de economia (eu era fera em Excel). Cumprimentei seus pais, duas pessoas fantásticas. Fiquei enormemente feliz com uma cena que presenciei na sala de sua casa.

Pendurado na parede lá estava ele: o quadro de girassóis que dei à ela em seu aniversário.

A vida resume-se em pequenos momentos especiais que proporcionamos as pessoas.

Se as flores falassem

Uma de muitas histórias que tenho para lembrar e compartilhar.

Uma bela tarde, eu e um amigo estávamos no centrão de bobeira, vendo o desfile de lindas mulheres curitibanas (que cidade abençoada), mas como somos feios de doer, logo, somente vislumbrar, desfrutar, só em sonhos. Mmas isto rende outro relato.

Dito isto, lembrei-me que a senhorita L., conhecida de ambos estava de aniversário neste dia (14-03), não pensei duas vezes, liguei pra ela para verificar a sua agenda (mulher importante sempre tem agenda cheia). Bingo, convidei-a para vir ao centro fazer um happy hour conosco.

Nos encontramos na Praça Tiradentes. Nossa ela estava poderosa de preto, que mulher, que seios, que cabelo, que sorriso. Enfim, melhor parar por aqui senão terei que interromper o relato.

Fomos à uma café (Express Café) que fica em frente ao prédio histórico de UFPR. Escolhemos uma mesa, sentamos, pedimos o menu. Lembro-me que pedi para ela um café especial com cereja e uma torta alemã. Para mim pedi uma torta de frutas vermelhas. Meu amigo ficava dando indiretas na nossa companhia, eu apenas observando a cena.

Ficamos muito tempo conversando, pagamos e saímos em direção a sua universidade. Caminhamos por um longo trecho. Meu amigo despediu-se dela e foi para a sua universidade, eu acompanhei-a até a sua universidade. Deixei-a na entrada, mas antes fiz uma perguntinha:

– Posso trazer um bouquet de rosas pra você?
– Se você quiser pode sim – respondeu ela.

Acho que ela pensou que eu não faria tal ação. 19H, sai da sua universidade, voltei em direção a rua XV, cheguei no mercado das flores, comprei um bouquet de rosas de cores variadas, caprichei na dedicatória. De volta, cheguei na frente da sua universidade, consegui entrar com a ajuda dos seguranças.

Lá dentro, encontrei a sua sala, chamei-a para fora e entreguei-lhe as rosas falando algumas palavras de motivação alisando seus cabelos e no final dando-lhe um leve beijo no seu lindo rosto. Percebi que toda a sala olhava pela janela. Também percebi que duas meninas que estavam sentadas na calçada fizeram um sonoro Ohhhhhh… Foi show.

Despedi-me dela sorridente e alegre por fazer alguém feliz., Posso nunca mais vê-la, mas sei que minha atitude ficará gravada no seu coração.

Faça, não se importe com a opinião alheia, se te faz feliz, faça e nunca espere nada em troca.