Passeio no Jardim Botânico

Primeiramente, a vida tem certos momentos que são inesquecíveis, por este fator ela é especial e deve ser aproveitada ao máximo. Certo dia, pra minha surpresa recebo uma mensagem de uma pessoa muito especial pra mim querendo passear comigo no Jardim Botânico aqui de Curitiba. Como recusar uma proposta destas. Fazia tempo que queria conhecer o Jardim Botânico tão famoso aqui em Curitiba.

Cheguei antes dela e fiquei observando os peixes e as tartarugas desfrutando pequenos insetos que caíam na água, calmos e tranquilos em meio à selva de pedra onde estavam inseridos. Fiquei filosofando comigo, quanta diferença em um mesmo espaço. No jardim, uma serenidade, uma quietude. Logo após a cerca, barulho de carros, ônibus, pessoas apressadas, prédios em construção, metas, stress.

Minha companhia chegou alguns minutos mais tarde, um beijo de boas vindas e fomos passear tranquilamente admirando a beleza da natureza que nos rodeava. Tenho em minha mente todas as cenas que presenciamos. Passamos ver uma exposição de quadros, depois passamos a passarela sobre o lago. Aconteceu uma cena no mínimo engraçada: paramos para ver uma linda espécie de orquídea que estava numa árvore, ela se apoiou no tronco da passarela, 1 minuto depois ouço seu grito e um pulo, ela havia posto a mão em cima de um ‘mandorová’, sorte que não era venenoso.

Seguimos pelo caminho que rodeia o bosque conversando sobre amenidades da vida, lembranças de nossa infância, citando nomes de árvores que conhecíamos, fazendo pequenas carícias e comentários divertidos. Após uns 15 minutos de caminhada, chegamos na famosa estufa de plantas, apreciamos a pequena cascata e as plantas. Depois passeamos pelo bosque desenhado que fica em frente à estufa. Muito legal a cena da professora brincando com seus pequenos alunos uniformizados no gramado, quantos risos, quanta diversão.

Depois degustamos algumas pitangas diretamente da fonte (rs), caminhamos um pouquinho, escolhemos uma bela sombra, deitamos lado a lado e ficamos conversando sobre o futuro tendo como espectadores um casal de quero-queros com seu filhotinho ainda adquirindo plumagem. Alguns turistas iam e vinham com suas máquinas fotográficas, o tempo foi passando, quase adormecemos no gramado (rs).

Bom, como tudo de bom nesta vida tem um tempo tivemos que voltar para a nossa vida cotidiana. Ambos pegamos o ônibus, um para cada lado, ficando em nossa mente os doces momentos vividos em companhia da natureza e um gostinho bom de quero mais.

Periodicamente dedique um tempo para você esquecer que existe trabalho, metas, visite algum parque da sua cidade, aprecie os pássaros, os insetos, as árvores e tente retirar um pouco da tranquilidade que eles exalam para o seu dia a dia. Te garanto, o bem que isto faz não há dinheiro que pague.