Encontro

Eu chego, aproximo-me dela por trás*,

um aroma de rosas no orvalho da manhã preenche meus sentidos,

enlaço-lhe a cintura virilmente,*

puxo-a contra o meu corpo,

beijo-lhe o lóbulo da orelha,*

minhas mãos sobem pelos seus belos seios,

os dentes mordiscam-lhe a nuca…

e ela se encolhe arrepiada e se volta*,

seus olhos me incendeiam de paixão,

sua boca entreaberta procura a minha instintivamente*,

suas mãos prendem fortemente meus cabelos,

mordisca meu lábio inferior,

sinto suas unhas delimitando território nas minhas costas,

minha mão passeia por entre as suas coxas… calor, umidade, brasa.

roupas dispersas pelo chão,

gemidos, sussurros, prazer, tesão!!!

E voltou minha princesa nórdica.

Cada momento vivido ao teu lado merece uma comemoração.

*  – Citações retiradas e adaptadas do livro O Arquipélago I (Érico Veríssimo, O Tempo e o vento) enquanto degustava um bom amargo ao lado do fogão à lenha espantando o frio da capital das araucárias e vendo o espetáculo dos pingos de chuva caindo sobre a calçada.

Eee saudade

Saudade, brasa viva que queima o coração

Vento frio que corta a alma

Combustível da nostalgia

Estás longe, mas te sinto diariamente ao meu lado

Estás longe, mas minha camisa ainda possui o teu perfume corporal

Estás longe, mas meus lábios ainda estão com o sabor dos teus beijos

Estás longe, mas tua voz ecoa no meu dia

Estás longe, mas ainda vejo o teu sorriso

Estás longe, mas nas madrugadas preenche meus sonhos

Estás longe, mas presente calorosamente no meu coração

Estás longe, mas por uma nobre causa

Deus proteja você e a sgora (digo tua mãe rs)

Guardar-me-ei para desfrutar do teu corpo e companhia

Volta logo!!!

Ao te ver

Eu tento, mas é tudo em vão
impossível explicar o que sinto
palavras? inúteis, poesia? apenas uma forma de aliviar a saudade
quando te vejo, te admiro, te aprecio
meu coração dispara, acelera, adrenalina, fogo
meu corpo entra em êxtase
te desejo ardentemente, quero tua felicidade
tem lugar cativo no meu coração

Ainda terá muitas belas surpresas minhas

Quanto te vejo

Quando te vejo meu coração acelera feito uma Ferrari

Quando admiro teus olhos fico hipnotizado

Sinto como estivesse observando estrelas

Ah, teu sorriso, impossível não se apaixonar por ele

Quando tua boca se aproxima da minha, meu Deus,

Minhas células incendeiam feito brasa viva,

E na união perfeita de nossos lábios

Brasa, fogo, vulcão, vendaval, furação, respiração, ufa!!!

Quanto sinto tua pele, cheiro, maciez, vontade de morder

Ah, aqueles pêlos dourados, mais valiosos do que ouro

Ah, seu corpo nu, de bruço envolto apenas numa toalha

Obra-prima escultural, que privilégio vê-la com toda sua sensualidade

Ah, é um sonho, não me acordem por favor

Não, é real, por poucos instantes, mas é real!!!

Teus beijos

Para: mi passione

“Que segredos tem teus beijos?
Que te mantém a meu lado
Junto, bem junto, colado….
Mesmo distante de mim….

E assim,
Num frenesi envolvente
Intenso, úmido, quente
Me torna total dependente…

Teus beijos…
Me extasiam em repletos desejos…
Desvende prá mim teus segredos
Pois falo sério, preciso muito saber….

É um beijo que não se esquece
E até parece
Que teu gosto está aqui…
Selando teus lábios em mim…

Beijo que me queima, que arde
Minh’alma invade
Acalma e inflama, feito uma chama
Tatua, perpetua e me ama…

Beijos…
Da tua boca eu preciso
Doce poção de absinto
Venha ou me traga o antídoto
Para que eu possa viver…”

Rose Felliciano

Boca a boca

Para: mi passione

Ah, esse amor que acendeu em meu peito
uma chama desmedida
que entrou sem avisar, de forma atrevida
está agora a pulsar em ardente pleito
agarrado ás minhas artérias, sem encontrar a saída

Para onde fugirei da sua boca abrasiva ?
Meu paladar se apegou ao seu
na viscosidade da saliva
O seu corpo se aninhou ao meu
destilando amor em carne viva
Das catapultas do seu olhar
são lançadas pedras cortantes como lâmina
aço afiado a me perfurar
penetra o seio da ânima

Quero ser por ti contemplada
com flores rutilantes no olhar
ter a alma alvejada
pela fresca da chuva de pétalas
que goteja do seu mirar

Úrsula A. Vairo Maia

Az

Curte a vida rapaz

O tempo… é você que faz

O que passou não volta mais

Não deixe nada para trás

Mesmo um instante fugaz

Teu amor não esqueçe jamais

Colhe o que o vento traz

Não duvide que é capaz

Seja sempre audaz