A sombrinha florida

Mais uma história do cotidiano. Pouco tempo atrás, cerca de um mês ou dois, como sempre voltando a pé do trabalho para a casa, tempo bastante nublado, eu como sempre apenas de camiseta, pensei, não vai chover, ledo engano.

Quase ao final do trajeto começou a chover, pensei comigo: viu quem manda vir a pé pra casa quando o tempo está para chuva. De repente sem ao menos eu perceber, escutei um: “quer uma carona moço?”. Voz fina e suave aos meus ouvidos, olhei para o lado e vi uma linda morena, jovem, olhos azuis, cabelos muito bem cuidados no meio das costas, uns livros debaixo do braço e sua sombrinha florida daquelas com armação de madeira estilo japonês. Aceitei e agradeci “a carona”,  fomos conversando. Observador que sou vi alguns livros sobre Publicidade com ela, pronto, já tínhamos assunto.  Fomos compartilhando a sombrinha e por minha sorte ela mora depois da casa da minha tia, levei muita sorte. O interessante desta história foi perceber que numa situação atípica e inesperada podemos conhecer pessoas interessantes.

Anúncios

A sombrinha amarela

Coisas simples que fazem a vida ser bela. Algum tempo atrás, domingo chuvoso, céu cinzento… 8:00h da matina… eu estava precisando comprar um pincel de barbear… tomei café, peguei um guarda chuva, estava saindo… neste ínterim minha pequenina e sapeca sobrinha perguntou-me:
– tio, aonde você vai? tá chovendo tio.
respondi:
– vou na lojinha de 1.99.
– eu vou também, respondeu ela sorrindo pra mim.
não tive como dizer não… que sorriso lindo e inocente… só você sai comigo né tio… espera tio vou pegar minha sombrinha… e lá veio ela com sua sombrinha amarela… linda, com uma blusa e uma toca rosa… sua mãe e sua avó (minha mãe) queriam brigar com ela por sair na chuva… defendi-a na mesma hora e lá fomos.
Rua sem asfalto ou calçamento… logo um barro danado… os dois andando pela rua enlameada… ela conversando comigo andando na minha frente… peguei meu celular e filmei-a… criança já viu… sempre procurava as poças de água… hehe… como um bom tio deixei ela a vontade.
– tio, vamos trazer o prefeito aqui… ri muitíssimo da situação.
Chegamos na lojinha… estava lotada… feriado… ela foi ver uma boneca… fui “obrigado” a comprar três bonecas e um pacote de salgadinho… pra voltar pensa que ela quis vir a pé… de jeito algum… imagina a cena… ela no meu colo com sua sombrinha amarela, eu segurando meu guarda chuva e duas sacolas pesadas… uma subida danada… minha sobrinha é bem gordinha… pensem num rapaz que quase desmaiou de cansaço… não sei como consegui chegar em casa… chegamos todos sujos… adorei… são estas lembranças que vamos ter em nossa vida.