Memento vivere

Ah, a vida esta doce caixinha de surpresas. Ação, movimento, alegrias, surpresas.

Ah, a vida esta linha tênue recheada de oscilações atemporais e inconstantes, montanha russa de situações e emoções.

Ah, a vida, mar calmo sem ondas, mar bravio cheio de tormentas, silêncio, turbulência.

Ah, a vida, um segundo apenas pode mudá-la para sempre. Mais uma grata surpresa destinou a este pobre mortal que agora compartilho com vocês.

Dizem que todo homem precisa fazer três coisas antes de partir: plantar uma árvore (já fiz), escrever um livro (meus posts aqui já dariam rascunho para um livro de memórias) e ter um filho (ainda me falta ao menos que eu saiba). Mas existem inúmeras outras coisas que devemos fazer enquanto vivermos, uma delas é um jantar especial (na minha opinião), tipo aquele jantar do clássico A Dama e o Vagabundo. Pois bem, depois de muito planejamento, economizando no almoço do dia a dia (sou expert nisso) e aproveitando das compras coletivas e do parcelamento do cartão de crédito consegui concretizar um sonho meu de infância: levei mi passione para jantar num restaurante famoso aqui em Curitiba: o Duo Cuisine.

Eu sei que para muitos isso possa soar como algo normal, mas para mim nem consigo quantificar a alegria que tive pela concretização deste sonho. Fiz o script bem certinho: agendei com mi passione, óbvio que não contei o nome do restaurante. Eu parecia um adolescente querendo impressionar e surpreender. E consegui ouvindo as palavras dela depois e notando a felicidade em seu semblante. Eu sei que a diferença está nas pequenas coisas diárias que fazemos para quem amamos, mas uma surpresa diferente de vez em quando salpica mais tempero em nossas relações.

Estava ansioso, não tenho como negar. Esperei-a para tomarmos um táxi e ir até o restaurante. Quando a vi meus olhos brilharam de alegria. Estava divina na sua simplicidade peculiar. Notei os brincos que lhe dei de presente tempos atrás, o batom rosa discreto delineando seus lábios chamativos, sua camiseta em tons de amarelo ressaltando o belo e convidativo volume dos seus seios, sua calça jeans básica, seu sorriso de Afrodite me conduzindo aos Elíseos. Eita, espera um pouco preciso respirar, senão…

Dentro do táxi, ela com toda a malícia me perguntando: aonde você vai me levar? Desconversei e entrelaçei minha mão com a dela e conversamos divertidamente até chegar ao restaurante. Bom, pra quem conhece o Duo Cuisine não preciso dar detalhes, fiquei maravilhado com o ambiente e com o atendimento prestado.

Chegando no restaurante, fomos atenciosamente conduzidos ao segundo andar e quando vimos o ambiente ficamos enebriados com a beleza da decoração e mi passione murmurou no meu ouvido: luidi, me surpreendeu!!! Sentamos perto da janela, a mesa tinha uma iluminação natural rosa clara proporcionada por uma lindíssima vela decorativa que dava ao ambiente um ar elegante e aconchegante. Desculpem-me pelos superlativos, mas o lugar é show. Entrelaçamos nossas mãos antes do jantar ser servido agradecendo a vida por mais um momento especial que estávamos vivendo.

O jantar foi igual à filme romântico, igualzinho aos meus sonhos. Um bom vinho, uma boa entrada, um ótimo filet mignon, doces e provocativas brincadeiras, uma deliciosa sobremesa e uma esplendorosa companhia. Apenas faltou um detalhe, a cena do macarrão (rs). Degustamos calmamente o jantar, ao final, trouxe-a junto ao meu peito e beijei-a torridamente já sentindo os efeitos do vinho (afinal ela tomou apenas duas taças e eu tomei o restante da garrafa rs).

Em silêncio deixamos o restaurante, e ao som de Def Leppard – Love Bites ela recostou sua cabeça em meu ombro enquanto eu vagarosamente fazia carícias em seu cabelo (cena inesquecível). O depois, bem, fica na imaginação de cada um.

Ah, a vida:

Aproveite-a agora enquanto tens paixão, enquanto teu coração bate, enquanto tem com quem compartilhar tuas duras vitórias.

O doador de sonhos

Quinta feira, véspera de feriadão, saio às 17h00 com a missão de comprar chocolates para os meus sobrinhos. Bom como sou objetivo já estava com a lista definida. Lá fui eu andando pela XV até chegar numa rede de lojas. Pensem na quantidade de pessoas e na confusão que estava, os corredores estavam intransitáveis. Peguei uma cestinha, escolhi os ovos e em 5 minutos já estava na fila de pagamento. Quase que desisto, parecia fila de compra de ingresso para final de campeonato de futebol. 40 minutos até chegar ao caixa.

Interessante a estratégia que as lojas utilizam para fazer com que o cliente compre mais algum produto antes de chegar ao caixa. Colocam uma grande variedade de guloseimas nas prateleiras dos corredores do caixa para tentar fisgar o cliente pelo paladar.

Lá estava eu andando feito tartaruga. Chocolate deixado pra todo lado. As pessoas são indecisas mesmo, pouco antes de chegar no caixa vão deixando produtos em qualquer canto. Um pouco antes de chegar a minha vez de ser atendido olhei um pacote grande de sonho de valsa me convidando a levá-lo. Pensei comigo: e porque não. Pus o pacote na cestinha andei até uma caixa, efetuei o pagamento, sai com uma sacola gigante, fui até uma promotora de uma marca de chocolate retirar meu brinde. En passant: fiz uma continha básica usando regra de três e descobri que os ovos estavam a peso de ouro: em média 120 reais o quilo! Ai meu bolso.

Bem sai em direção a XV com um plano na cabeça. Dizem que existe o vendedor de sonhos, bem naquela tarde fui o doador de sonhos. Lá fui eu em minha missão. Havia muitas famílias passeando pelas ruas naquela tarde o que simplificou a minha missão.

A primeira criança agraciada foi um garotinho moreno. Cheguei perto dele, estendi minha mão com o sonho e disse: quer um sonho para a Páscoa? E assim fui doando sonhos para as crianças. Não me esqueço das duas adolescentes em trajes escolares dizendo em coro: também quero!

Pouco antes de chegar no ponto de ônibus o pacote de sonhos estava vazio. O doador lembrou de cada sorriso por cada sonho doado e refletiu que sua atitude tornaria a Páscoa de muitas famílias mais doce. Adentrei ao ônibus feliz da vida.

No dia seguinte viajei para a casa dos meus pais. Quando recebi um abraço quíntuplo recebi meu pagamento incalculável. E você já doou algum sonho a alguém, seja de chocolate, de alegria, de amizade, de esperança ou de amor?

Um sonho inacabado

Era uma típica noite de outono nalguma cidade europeia, Praga talvez. A calçada estava repleta por folhas amarelas. Caminhando por entre as estreitas ruas, a calça jeans surrada, a camisa verde estilo militar, os óculos escuros ‘a la’ Top Gun. Eis que vultos surgem por entre uma janela semi-aberta. Ele pára, curioso que é, chega de mansinho perto da janela e os seus olhos se enchem de beleza com uma tórrida cena.

Ele vislumbra uma grande mezzanino em couro negro com formato oval. A garrafa de champagne dentro de um balde de gelo. Sentada num sofá charmoso uma loira escandinava, pernas cruzadas, cabelo channel, vestida com um elegante tailleur segurava elegantemente um copo de champagne que estava com líquido pela metade. Ele ouve alguns gemidos dando corpo aquela noite. Seus olhos mudam de foco e presenciam uma cena inesquecível.

No centro do mezzanino vislumbra duas ninfetas nuas, os cabelos longos presos em forma de trança, uma loira, outra morena, os corpos transpirando jovialidade e convites prazerosos. Ao fundo uma vitrola moderna tocando um belo instrumental. A hábil língua da loira desliza pelo corpo da morena que está a sua mercê. Passeia do lóbulo da orelha até o meio de suas pernas. Ele começa a transpirar. No átimo seguinte ele está no meio do mezzanino, a loira degusta um gole de champagne e avalia todo o seu corpo com o seu olhar. Ela olha para as duas que entendem à sua ordem.

Aproximam-se do homem, enquanto a loira retira o zíper de sua calça a morena agracia-o com fervorosos beijos. Seus óculos são postos ao lado do balde onde está a garrafa de champagne, sua camisa é arrancada ferozmente, ouve-se o som dos botões caindo no chão. Elas lambem suas orelhas, ele permanece imóvel. A loira que observa a cena pousa um dedo no champagne e começa a se masturbar em sua frente. Elas agora atacam seu forte pescoço com mordidas, brigam por cada centímetro do seu peito, descem com a língua em sinuosas curvas por sua barriga. Um leve beijo em seu membro ereto, as mãos dele em suas cabeças segurando os seus cabelos.

Ao longe, o som instrumental é cortado por um nervoso riff de guitarra. 6h20. Que m… meu celular me desperta, vou ao banheiro, uma água fria no rosto e um copo de água gelada. Preciso terminar este sonho. E desta vez vou desativar o alarme do celular.

Ímpeto adolescente

Numa sexta-feira a tarde, rumo a rodoferroviária de Curitiba. Chego em cima da hora, compro a passagem [três reais de taxa de embarque é um roubo], bora rumo a Santa Catarina.

Poltrona 33, nos bancos ao lado dois estudantes. Começa a viagem, os estudantes começam a conversar sobre o ano de estudos, vestibular, futuro, etc. Interessante notar os sonhos que cada um contava com entusiasmo e brilho nos olhos. Todos passamos ou vamos passar por esta fase. Pena que com o passar dos anos, devido à vários fatores, vamos “matando” muitos de nossos sonhos e num universo de diversas opções acabamos escolhendo um leque muito pequeno.

Os sonhos de nossa juventude acabam sendo apenas sonhos, vivemos “bitolados” pela sociedade e pelo meio onde vivemos. Quantas vezes não concretizamos nossos sonhos pela falta daquele ímpeto jovem. Temos experiência, mas, às vezes esta experiência nos imprime um medo interior e desistimos facilmente de muitos de nossos sonhos.

Que cada um de nós cultive um pouco do ímpeto adolescente para este novo ano. Quando desejamos verdadeiramente somos capazes de proezas fantásticas, pensem nisso

Um dia eu queria

Preparar um jantar a luz de velas pra você
Dançar colado junto à você
Assistir a uma comédia romântica contigo
Tomar um banho de chuva contigo
Passear pelo shopping de mãos dadas
Sábado à noite, sozinhos, te beijando com um fundo musical romântico
Como eu queria estar do seu lado agora
Deitar na grama junto à você
Ver o pôr-do-sol contigo numa bela praia
Fazer planos para o futuro contigo
Ter você para me motivar quando eu estiver triste
Poder pagar um jantar chic pra você
Ir numa peça de stand up comedy contigo
Pernoitar contigo na suíte presidencial do Celebrity (olha a propaganda de graça)
Viajar para um lugar paradisíaco contigo
Te cobrir de pétalas de rosa
Carregar-te no colo para a cama

Outras coisas que eu for lembrando elaboro outro post

O sonho

Interessante como nossa mente é capaz de reproduzir coisas espetaculares.

Tempos atrás, uma bela noite, repousando, minha mente reproduziu este belo sonho com uma pessoa muito especial para a minha vida, um doce de pessoa.

Dia ensolarado. Céu azul e límpido. Paisagem bucólica. Clima de fazenda. Andando pelo gramado verde. Montanhas ao longe. Uma bela e frondosa árvore, imponente e solitária sob o gramado. Eis que surge um anjo disfarçado de mulher, protegendo-se do sol embaixo da árvore. Cabelos loiros ao vento, sorriso fatal em seus lábios. Vestido sensual em seu curvilíneo corpo. Seios perfeitos.

Aproximo-me, sento ao seu lado. Conversa caliente, clima esquentando, mãos acariciando seu rosto e vagarosamente descendo pelo seu ventre. Sinto o gosto de sua vagina com meus lábios. Desço, escondo-me embaixo do seu vestido, degusto lenta e suavemente sua vagina. Ouço gemidos de prazer. Ponho-a de bruços. Posso apreciar um monumento de bumbum, pêlos loiros sob o cofrinho. Faço ela se arrepiar. Passo a língua no ânus e cofrinho e vou subindo até o pescoço. Posiciono-me sobre ela, dou leves mordidas na orelha e pescoço seguidos de beijos vulcânicos. Nossos corpos se unem. Movimentos de vai e vem compassados, gemidos mútuos de tesão. Somente a natureza apreciando a cena. Ápice do prazer humano em grandes doses de gozo mútuo. Lado a lado extenuados de prazer, beijos e carícias pra finalizar.

Eis que acordo. Cueca molhada de sêmen.

Sonhei, mas como eu queria que fosse realidade.

Um simples pensamento

O que é a vida sem um sonho, sem cometer loucuras sadias de vez em quando, uma vida vazia… sem gosto, sem um porquê, sem prazer, sem desafios.. Não fique sentado no banquinho a beira-mar vendo os surfistas pegarem suas ondas, vendo os casais jogando frescobol, haja, arrisque, se errar, podes voltar ao começo, agora se ficar apenas sentado observando a vida do lado de fora, terás inúmeros problemas na sua velhice, ficarás com esta pergunta na cabeça: EU podia ter feito isto, EU podia ter feito aquilo.. óbvio que não somos capazes de fazer tudo, mas devemos nos esforçar pra fazer o maior número de coisas possíveis.. não deixe os seus medos impedirem tuas ações… o tempo não pára, escorre pelas mãos (by Cazuza).

O tamanho de nossos sonhos

Todos nós temos sonhos… Alguns sonhos pequenos, outros sonhos gigantescos… Meus sonhos são: ajudar a minha família em primeiro lugar, porque me deu o maior bem que um ser humano pode adquirir: EDUCAÇÃO. Depois, poder ajudar quem eu gosto e merece.
Outras pessoas já almejam sonhos muito maiores: ter uma Ferrari 460 Modena ou uma Mercedez McLaren, ou viajar ao redor do mundo. Cada um de nós, mesmo que digamos que não, somos fascinados por bem materiais, mas me pergunto: a felicidade em pilotar uma Ferrari é maior do que a felicidade quando você dá uma bala para uma criança. Eu acredito que não… Explico porque: tudo o que é novo, seja simples ou sofisticado, atrai nossa atenção, mas com o passar do tempo, vamos nos desapegando destas coisas, em busca de novidades. Se consegues uma Ferrari, quer um Porsche e assim vai… Não que isso não seja bom, pelo contrário, estimula o crescimento e o batalhar pelas coisas… Mas até que ponto é sonho e quando vira obsessão… Sinceramente, não sei.
Não importa o tamanho do sonho, o importante é sonhar… Eu sonho, algum dia, encontrar uma pessoa especial, que me complete, que seja companheira, que suporte problemas, que colha alegrias, que me avalie pela minha personalidade, não pela minha beleza ou dinheiro (tanto que se for por isso, estou ferrado).
Mesmo que o teu sonho não se realize da maneira que você sonhou, eles se realizarão da maneira que Deus achar que é a melhor pra você. Não deixe ninguém impedir você de sonhar, pois os sonhos nos dão esperança para o futuro.